Cascavel corre o risco de entrar em estado de epidemia de dengue já em março

Com 140 casos confirmados e 947 suspeitos, a situação é alarmante

Com 140 casos confirmados de dengue em Cascavel, além de número significativo de suspeitos, 947, segundo o último boletim epidemiológico da Secretaria de Saúde, o Município está se encaminhando para entrar em estado de epidemia em março ou abril. A informação foi dada pelo secretário municipal de Saúde, Thiago Stefanello, durante coletiva de imprensa realizada nesta sexta-feira (21), na Prefeitura.

Segundo o secretário, para que o Município não chegue ao status de epidemia da dengue, a população precisa tomar parte nas ações contra o mosquito, uma guerra que todos os cascavelenses precisam participar. “O poder público sozinho não tem como combater o mosquito. Mais que nunca a população precisa olhar para o seu quintal e se mobilizar. O mosquito é assunto é sério. A dengue mata”, frisou.

Durante a coletiva, foi ressaltado que este é o pior ano de dengue da história para o estado do Paraná, já são 23 óbitos: 23 pessoas que perderam a vida por conta do mosquito. Diante desse cenário, Stefanello fez um apelo à comunidade cascavelense para que neste feriado de Carnaval se programe para fazer um mutirão em suas residências. “Senão nos mobilizarmos, a próxima morte por dengue pode ser em Cascavel. Essa é uma causa e uma responsabilidade de todos nós”. Para se ter uma ideia do caos que Cascavel se encontra, somente no dia de ontem (20) foram registradas 103 notificações de casos suspeitos no Município.

O diretor do Território Cidadão, José Carlos Costa, o Cocão, reforçou que o papel da população nessa guerra contra o Aedes é fundamental para que Cascavel saia vitoriosa nesse confronto. “A população tem que ter ciência que esse trabalho de limpeza precisa ser feito periodicamente. Nós convocamos todos os líderes comunitários para que eles possam fazer ações de mobilização dentro das suas comunidades e para que possamos ser parceiros nisso. Mas parte também da população, não é só o município que tem que limpar, o risco está dentro do quintal”, enfatizou ele, ressaltando que neste ano não está programado mutirão de limpeza.

O chefe da 10ª regional, João Gabriel Avanci, destacou que são mais de 26 mil casos confirmados no Estado, um dado extremamente preocupante e que depende muito da população para que esses números não aumentem. “As pessoas só percebem o quanto essa doença é grave quando acontece com um parente. Não precisamos esperar que a dengue chegue em alguém que a gente ama para tomar uma providência”, alarmou.

Questionado sobre o fumacê, o veículo com o BTV pesado que começou a trafegar por Cascavel, após uma autorização da Secretaria Estadual de Saúde,  Avanci foi bem enfático e disse que no caso de Cascavel a ação é preventiva. “Quando o fumacê chega é porque já perdemos a guerra. A caminhonete não deve vir. O mosquito não pode voar, temos que acabar com ele antes. O fumacê gera uma impressão que passou a caminhonete com o veneno e não precisa mais tomar os cuidados com o quintal, o que não é verdade”.

No município, o veículo vai passar apenas nos bairros com mais infestação de dengue: Interlagos, Brasmadeira, Brasília, Morumbi, Floresta, Pioneiros Catarinenses e Neva. O trabalho já foi iniciado no Município.

SINTOMAS

A médica do departamento de Atenção à Saúde do Município, Luciana Cavalli, frisou que os cascavelenses precisam procurar as Unidades Básicas de Saúde assim que notarem os sintomas da dengue, e os casos mais greves serão encaminhados às UPAs (Unidades de Pronto Atendimento). “Os sintomas são: quadro de febre, acompanhada de dor no corpo, dor de cabeça, dor atrás dos olhos, machas na pele, sangramento espontâneo, dor abdominal, náuseas e vômito. Nem todos os pacientes precisam fazer o internamento, mas a hidratação é muito importante”, avisou.

O exame da dengue só pode ser feito de 7 a 10 dias após os primeiros sintomas para que não haja o resultado de falso-negativo, por isso, algumas unidades estão agendado o exame.

FAKE NEWS

Olhar o ralo, baixar o vaso sanitário que está em desuso, destinar corretamente o lixo, fazer a limpeza do quintal são apenas alguns dos cuidados que a diretora de Vigilância em Saúde, Beatriz Tambosi, recomendou. Ela ainda desmentiu algumas fake news, como o roubo de uniformes de agentes, bem como a dedetização por parte da Secretaria de Saúde. “Outras coisas que andam circulando é o tal do vinagre com álcool, isso não funciona no combate ao Aedes, pode apenas espantar por um tempo. Água sanitária com sal também só vai espantar enquanto estiver cheiro. Citronela, limão com cravo, borra de café, nada disso resolve, pode espantar, mas nada substitui eliminar água parada e eliminar os focos e criadouros da dengue”, frisou.

Vamos conferir o que você pode fazer neste feriado?

=>Tampe os tonéis e caixas da água;

=> Mantenha as calhas sempre limpas;

=> Deixe garrafas sempre viradas com a boca para baixo;

=> Mantenha lixeiras bem tampadas;

=> Deixe ralos limpos e com aplicação de tela;

=> Limpe semanalmente ou preencha pratos de vasos de plantas com areia;

=> Limpe com escova ou bucha os potes de água para animais;

=> Retire água acumulada na área de serviço, atrás da máquina de lavar roupa;

=> Limpe ralos e canaletas externas;

=> Atenção com bromélia, babosa e outras plantas que podem acumular água;

=> Deixe lonas usadas para cobrir objetos bem esticadas para evitar formação de poças da água.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.