Covid-19: minicursos para apenados por crimes de trânsito são adiados por tempo indeterminado

Cettrans/Transitar alerta condutores para dirigir com responsabilidade e para os riscos, principalmente, de se associar álcool e direção
Realizado tradicionalmente a cada segunda terça-feira de cada mês, o minicurso para apenados por crimes de trânsito “Mudando atitudes, preservando vidas” também precisou ser repensado, devido às restrições impostas pelo decreto municipal que adota medidas de proteção à população e enfrentamento da Covid-19. Diante disso, a turma que seria agendada para a noite de hoje (14) será reagendada para data oportuna, pós este período de distanciamento social.

Em média, mensalmente são de 25 a 30 participantes do curso, que é realizado em conjunto pela equipe de Educação de Trânsito da Cettrans/Transitar, com o Cotrans/PVT (Programa Vida no Trânsito) do Município, o Patronato Penitenciário de Cascavel e o Ministério Público Estadual. As palestras realizadas na Escolinha de Trânsito Pedrinho e Rafa têm cerca de 3h/a de duração e visam à ressocialização do cidadão que cometeu crime de trânsito, encerrando uma etapa de cumprimento de pena que inclui serviços comunitários de atendimento a vítimas de trânsito no Hospital Universitário, além de pagamento de cestas básicas.

De acordo com a coordenadora do setor de Educação de Trânsito da Cettrans/Transitar, Luciane de Mora, assim que os cursos forem retomados, será feito um cronograma para atender à demanda reprimida, com a possibilidade de mais de um curso ao mês, conforme a necessidade. As palestras promovem acesso à reciclagem acerca de legislação, educação, primeiros socorros e conhecimentos na área de psicologia, todos ministrados por especialistas em cada área. “É preocupante e necessário manter este acompanhamento, uma vez que principalmente a associação de álcool e direção ainda precisa ser combatida em nossa sociedade”, detalha Luciane.

Imprudência

Esta semana, por exemplo, as estatísticas de óbitos no trânsito de Cascavel foram elevadas por imprudência associada por embriaguez ao volante. Este é um dos crimes previstos no Código de Trânsito Brasileiro (artigos 302 até 312).

O condutor do veículo, alcoolizado, avançou a preferencial e acabou colidindo com o motociclista, que não resistiu aos ferimentos, elevando para 400% o número de óbitos de motociclistas no perímetro urbano este ano, em relação aos primeiros meses de 2019. Durante todo o ano passado, foram nove mortes de motociclistas nas vias urbanas.

“Embora tenhamos mudado a metodologia de abordagem de educação no trânsito, continuamos conscientizando e reforçando o papel de cada cidadão no trânsito, que é o de preservar a própria vida e a vida do outro”, reafirma Luciane de Moura.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.