Currículo é foco da formação dos professores antes do retorno dos alunos

2º semestre inicia com desafios na Educação e Cascavel sai à frente com o currículo alinhado à BNCC e intenso trabalho de recomposição das aprendizagens
Amanhã os alunos retomam as atividades do ano letivo de 2022 nos 55 Cmeis e 64 Escolas Municipais, após o recesso escolar. Nesta véspera de volta às aulas, os professores e profissionais da Educação passam por formação continuada no II Seminário de Educação 2022, com foco no Currículo para a Rede Pública e suas contribuições no processo de ensino e aprendizagem.

O segundo semestre será marcado pela aplicabilidade plena do currículo por parte das equipes pedagógicas de cada unidade escolar, considerando que já foram concluídos e lançados os novos volumes dos Currículos para a as Séries Iniciais do Ensino Fundamental, para a Educação Infantil e para a Educação Especial, da Rede Pública Municipal de Ensino de Cascavel, todos alinhados à BNCC (Base Nacional Comum Curricular).

Para a secretária de Educação, Marcia Baldini, que participou da abertura do Seminário na manhã de hoje (26), o segundo semestre de 2022 deverá ser bastante desfiador e com importantes pautas e regulamentações relacionadas à Educação, mas a principal preocupação certamente é a recomposição das aprendizagens, processo em que a prática do currículo na sala de aula se faz essencial. “Sabemos que Cascavel tem uma longa caminhada e que este documento é algo que nos enche de orgulho. No entanto, todo currículo tem os pressupostos teóricos e os pressupostos práticos, e agora é o momento de pensarmos na efetivação deste currículo na prática docente e na aprendizagem dos nossos alunos”, enfatizou.

Marica Baldini também lembrou que em breve haverá nova regulamentação do VAAT (valor anual total mínimo por aluno) do Novo Fundeb, sendo que uma das condicionalidades para que as Redes Municipais possam pleitear estes recursos é ter os currículos alinhados à BNCC. “São sete pontos regulamentadores e há um prazo até 15 de setembro para que sejam entregues estes documentos ao FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação) e isso é o que vai balizar a questão do financiamento para 2023”.

Os resultados referentes à aprendizagem, a oferta de Educação em Tempo Integral, o combate à Evasão Escolar e às desigualdades educacionais também são preocupações que foram compartilhadas pela secretária de Educação com os profissionais da Rede. Fatores que também definirão a distribuição de recursos para a Educação, a exemplo do ICMS Educação, que logo passará por votação na Assembleia Legislativa do Paraná. “Hoje nós estamos frente a uma política Educacional com foco na cobrança da aprendizagem atrelada ao financiamento. É algo bastante desafiador, que muitas vezes traz insegurança, mas é preciso saber que se trata de uma legislação aprovada em âmbito nacional e nos resta aprender, discutir e buscar alternativas em relação a estas políticas”.

Além das formações online pela manhã, da qual participaram os professores e profissionais das escolas e Cmeis, diretamente de suas unidades escolares, também ocorreu formação continuada presencial para os Agentes de Apoio, durante o dia todo, no Ceavel, além da organização do trabalho pedagógico nas unidades, no período da tarde.

À noite acontece a formação voltada aos professores da EJA (Educação para Jovens e Adultos), e amanhã toda a equipe de profissionais da Rede Municipal de Educação dá as boas vindas para os mais de 30.900 alunos, que retomam as atividades letivas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.