DEUS CRIA E SUSTENTA: Descanse no Seu cuidado

Há alguns dias fui olhar minhas plantas e vi que a figueira produziu mais alguns pequenos figos e a castanha de caju que foi plantada está brotando. Já tenho outras mudas mais crescidas. Quando me deparei com essas belezas fui tocado por Deus e pude perceber e até mesmo relembrar algo: Deus cria e sustenta sua criação.

Dois textos afirmam essa verdade, de que Deus cria e sustenta sua criação: Hebreus 2.10 e Colossenses 1.16-17.

Hebreus 2.10, afirma: “Pois Deus, que cria e sustenta todas as coisas, fez o que era apropriado e tornou Jesus perfeito por meio do sofrimento. Deus fez isso a fim de que muitos, isto é, os seus filhos, tomassem parte na glória de Jesus. Pois é Jesus quem os guia para a salvação” (NTLH). Muitas coisas estão implícitas no versículo, mas quero ressaltar apenas o fato de que Deus cria e sustenta todas as coisas.

Já Colossenses 1:16,17, diz: “Porque nele (Cristo) foram criadas todas as coisas que há nos céus e na terra, visíveis e invisíveis, sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades. Tudo foi criado por ele e para ele. E ele é antes de todas as coisas, e todas as coisas subsistem por ele”. Esse texto também afirma que em Cristo todas as coisas foram criadas e por Ele todas elas subsistem, ou são sustentadas. Isto mostra a suficiência de Cristo.

E o que me chama a atenção nesses textos, como em muitos outros, é o fato de que Deus cria e sustenta suas criaturas. Com a natureza é assim, com o universo é assim, e com todos os detalhes e aspectos da criação é dessa forma. Como diz um livro de Abraham Kuyper, estadista e teólogo holandês, em toda a extensão do cosmos.

Quanto à natureza, Deus criou todas as ervas do campo, árvores frutíferas e as sustenta para que sempre sejam como são. Os séculos passam, os milênios passam, mas a criação de Deus permanece em desenvolvimento (não de forma evolucionista), mantendo Deus as características de todas as coisas criadas. A semente é plantada, brota, cresce, se desenvolve e gera frutos. Desde o início de todas as coisas, desde a criação, é assim. O pequeno cajuzeiro que brota e a figueira que dá os seus figos em meu quintal fazem parte disso tudo. Só nasceram porque Deus sustenta sua criação.

Já o homem (gênero), é a criação mais singular entre todas as criaturas. Somente o homem foi criado à imagem de Deus (Gênesis 1.26). E Deus sustenta o homem. Nossos antepassados tinham as mesmas características físicas que as nossas, e nossa descendência também tem tais características, como, por exemplo, pernas, braços, tronco, cabeça, um ser pensante, racional etc. E desde Adão é assim porque Deus sustenta a sua criação.

Sendo assim, comprova-se que Deus cria e sustenta a sua criação. Sustenta no aspecto da sua essência, no fato de ser mantida as suas qualidades e características da mesma forma quando da criação. Sustenta pelo fato de tudo permanecer existindo do jeito que foi criado. E assim será até a volta de Cristo. Isso é correto bíblica e teologicamente.

E Deus sustenta, também, a sua criação com o seu cuidado e amor. O texto de Mateus 6 é claro a esse respeito. Vejamos o versículo 26: “Observai as aves do céu: não semeiam, não colhem, nem ajuntam em celeiros; contudo, vosso Pai celeste as sustenta. Porventura, não valeis vós muito mais do que as aves?”. Tal texto revela que Deus sustenta as aves do céu, e,  consequentemente, todas as demais criaturas.

Outro texto do capítulo 6 de Mateus afirma: “Considerai como crescem os lírios do campo: eles não trabalham, nem fiam. Eu, contudo, vos afirmo que nem Salomão, em toda a sua glória, se vestiu como qualquer deles. Ora, se Deus veste assim a erva do campo, que hoje existe e amanhã é lançada no forno, quanto mais a vós outros, homens de pequena fé?” (Mateus 6:28-30). Esse texto, também, expõe que Deus sustenta os lírios do campo e, consequentemente, todas as plantas, árvores etc.

Sua providência está presente tanto para as aves, como para os lírios do campo, e para toda a fauna e flora. E não é diferente em relação a nós. Aliás, conosco o seu cuidado se sobrepõe ao restante da criação.

As palavras de Jesus no capítulo 6 estão direcionadas ao homem, ou aos seus discípulos. As duas confrontações que Jesus faz entre as aves do céu e os lírios do campo com o homem está ligado ao fato de que o homem vale mais do que as aves do céu e os lírios do campo. Ou seja, Deus sustenta muito mais aqueles que são seus.

Por isso Jesus afirma para que não fiquemos ansiosos ou inquietos. Assim como Deus sustenta as aves do céu e os lírios do campo, e todas as suas criaturas, Ele também sustenta os seus filhos.

E isso deve trazer um consolo e segurança para nós nesses dias atribulados, pois, Deus nos criou e nos sustenta. Deus nos criou e não nos lançou ao léu da sorte. Ele tem cuidado por nós e por toda a sua criação.

O texto de Hebreus 2.10, como já mencionado, afirma: “Pois Deus, que cria e sustenta todas as coisas, fez o que era apropriado e tornou Jesus perfeito por meio do sofrimento. Deus fez isso a fim de que muitos, isto é, os seus filhos, tomassem parte na glória de Jesus. Pois é Jesus quem os guia para a salvação” (NTLH). Deus nos criou, nos sustenta com tudo o que necessitamos e, ainda, nos dá a maior das bênção, ou seja, faz com que tomemos parte na glória de Jesus, sendo guiados por Ele para a salvação. Deus tem cuidado por nós. Cria, sustenta e, ainda, nos salvou por meio de Jesus.

Observe o que diz o texto do Salmo 63.8: “A minha alma te segue de perto; a tua destra me sustenta”. Porque a mão direita de Deus nos sustenta, podemos, então, segui-lo de perto. E Ele está perto.

Descanse nas mãos Daquele que te criou e te sustenta, nestes dias difíceis que estamos passando. Não fiquemos ansiosos, inquietos, com o dia de amanhã, como afirma do texto de Mateus 6, pois, hoje é o dia em que temos o sustento de Deus. E amanhã será “hoje” também.

Se Ele sustenta as aves dos céus, com certeza sustentará a mim e a você. Se ele sustenta os lírios do campo, sustentará a mim e a você, pois, como diz a parte final do versículo 26 “porventura, não valeis vós muito mais do que as aves?”.

O que compete a nós é cumprir o maior ensino do capítulo 6 de Mateus: “buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça”, podendo descansar no Seu cuidado e amor. Por quê? Porque Deus cria e Deus sustenta.

Pr. Diogo Neves Gerber, pastor da Igreja Presbiteriana Renovada de Iracema do Oeste e Jesuítas/Paraná.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.