Embriaguez ao volante representa 23% das causas de óbitos no trânsito em Cascavel

Estatística foi confirmada na reunião semanal do Cotrans/PVT de hoje, que analisou as 13 mortes registradas este ano nos perímetros urbano, estadual e federal
Associar álcool e direção continua sendo o fator que mais provoca morte no trânsito em Cascavel. A confirmação é dos membros do Cotrans/PVT (Comitê Intersetorial de Trânsito/Programa Vida no Trânsito), que por meio de videoconferência realizaram nesta tarde (16) o encontro mensal do grupo, durante a qual – entre outros temas – foi analisado todos os óbitos registrados este ano nas vias urbanas e trechos estaduais e federais das rodovias que cortam a cidade.

Das 13 pessoas que perderam a vida nas vias em Cascavel no período de janeiro a abril de 2020, quatro eram condutores de veículos; uma estava como passageira de veículo; cinco eram motociclistas; uma estava como passageira de motocicleta e dois eram pedestres. Dessas, 23% (três condutores associaram álcool e direção). Paralelamente, está a alta velocidade, outro causador de mortes.

Para chegar ao ranking, os membros do Cotrans/PVT utilizam um programa que pontua pelo menos 20 fatores que podem causar o acidente, como infraestrutura da via, velocidade, uso de álcool e direção; visibilidade; condições do veículo; condições de saúde do condutor; possíveis fatores de risco associados como cinto de segurança, celular, entre outros.

Além de analisar as causas, o Cotrans/PVT também dá encaminhamentos quando necessário para os setores de engenharia de trânsito, educação ou fiscalização de trânsito, sugerindo, por exemplo, revisão de sinalização, foco em ações educativas ou de fiscalização.

Participaram da reunião mensal do Cotrans/PVT representantes da Cettrans/Transitar; da Polícia Rodoviária Federal; da Polícia Rodoviária Estadual; da Polícia Militar; do 4º Grupamento de Bombeiros; da 7ª Ciretran; da Secretaria Municipal de Saúde e da 10ª Regional de Saúde.

A orientação dos órgãos de segurança, em caso de  flagrante numa ocorrência de trânsito ocasionada por um condutor alcoolizado, que os populares não tentem fazer justiça com as próprias mãos ou tomem providências por conta própria. Isso porque, segundo os policiais que participaram da videoconferência de hoje, o condutor, se agredido, por exemplo, acaba escapando do flagrante e do teste do etilômetro (bafômetro), tornando-se uma segunda vítima, precisando ser também socorrido e levado aos órgãos de saúde, onde acaba ocupando leitos hospitalares. Em situações como essa, o ideal é sempre chamar e aguardar a autoridade de segurança.

Demais temas

A reunião ainda debateu ações preventivas via redes sociais e mídia para o mês de maio, mesmo que o Movimento Maio Amarelo tenha sido transferido para setembro, uma vez que a conscientização precisa ser permanente.

Também foi reforçada a necessidade de se continuar as ações de fiscalização de trânsito mesmo com este período de isolamento social, pois há uma sensação de impunidade. As estatísticas apresentam redução no número de acidentes, contudo, aumento na gravidade.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *