Novembro Azul: Unidades reforçam cuidados com a saúde do homem

Unidades de saúde terão até atendimento noturno e busca ativa para reforçar o combate aos cânceres e outras doenças
A Campanha Novembro Azul reforça a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de próstata e demais doenças que acometem a saúde dos homens. É um mês dedicado a incentivar o público masculino a procurar a rede de saúde pública para cuidar de si, uma vez que eles são mais resistentes a buscarem os serviços de saúde.

Em Cascavel, as unidades de saúde estão com atendimentos específicos para esse público durante o horário normal de funcionamento durante todo este mês, e ainda em algumas terão serviços em horários noturnos, além de busca ativa. Os homens podem procurar a rede mais próxima à casa para serem atendidos.

O objetivo é promover a conscientização sobre as doenças; proporcionar maior acesso aos serviços de diagnóstico e de tratamento. Segundo Inca (Instituto Nacional de Câncer), o câncer mais incidente nos homens é o de próstata, mas o que mais mata é de traquéia, brônquios e pulmões.

Segundo a assistente técnica da Sesau, enfermeira Mônica Grutzmacher, a finalidade é realmente ampliar a rede de atendimento aos homens, não só neste mês, mas criar uma consciência de cuidados o ano inteiro. “A mulher tá muito mais em contato com os serviços de saúde do que o homem, então a ideia é que nós, enquanto serviços de atenção a saúde, a gente traga esse homens para as unidades de saúde”, pontua.

Os profissionais de saúde estão prontos para fazer uma avaliação minuciosa da saúde masculina. “O que nós preconizamos é que sejam feitos os exames de rastreio, principalmente de hipertensão e diabetes, que a gente sabe que são doenças que acabam resultando numa alta mortalidade. A partir de uma avaliação do médico de fatores de risco, por exemplo, obesidade, idade, parente de primeiro grau que tenha tido câncer de próstata, os médicos solicitarão o PSA para aquele grupo que realmente seja necessário. Então, essas são as ações que nós colocamos foco, buscar os homens e trazê-los para o serviço de saúde, para tentar evitar a mortalidade. Com relação ao câncer de próstata, que tenha uma avaliação mais criteriosa, para que a gente não peça de forma indiscriminada os exames”, conclui Mônica.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *