Polo têxtil é inaugurado e começa formação de mão de obra na quinta-feira (16)

Inauguração do polo aconteceu na manhã de desta terça-feira e primeira turma terá 20 participantes
A inauguração do polo têxtil em Cascavel, na manhã de hoje (14), marca uma nova era para o segmento que terá, a partir de agora, um local específico para a capacitação de mão de obra qualificada. Trata-se de um projeto social de capacitação para dar oportunidade às pessoas que estão em situação de vulnerabilidade.

O Município de Cascavel atende a um número grande de pessoas em situação de vulnerabilidade social e que recebem auxílio do Cartão Promover, que pode chegar a R$ 300 dependendo da composição familiar. O programa Promover, no entanto, traz uma obrigatoriedade às pessoas  inseridas, que é participar de cursos profissionalizante.

“Nós não queremos eternizar essas pessoas com cartão, ele precisa ser temporário, rotativo. Então aqui será um laboratório de capacitação das pessoas para que elas saiam dessa demanda, dessa necessidade, dando oportunidade a outras pessoas”, destaca o prefeito Leonaldo Paranhos.

A primeira turma, com 20 participantes, terá início na próxima quinta-feira (16). Inscrições para as próximas turmas podem ser feitas diretamente na sede do polo têxtil, ao lado do Terminal Nordeste, na Rua Ghandi, no bairro Brasmadeira. O curso é gratuito.

De acordo com a secretária de Desenvolvimento Econômico, Hivonete Piccoli, o polo têxtil foi criado a partir do Comitê Gestor, atendendo a uma demanda da indústria.

“Nós faremos a partir do polo têxtil a capacitação de pessoas que queiram trabalhar, seja inserida no mercado de trabalho ou sendo o próprio dono do seu negócio, como empreendedora”, explica.

O secretário de Assistência Social, Hudson Moreschi Jr, disse que a previsão é de que a cada 30 dias uma nova turma seja formada.

“Cascavel tem grandes oportunidades, então a gente incentiva essas pessoas a procurarem o polo têxtil para se capacitar, se  formar e gerar renda e emprego da maneira mais digna possível”, afirma Hudson.

Maria do Carmo de Souza está matriculada na primeira turma e disse que já tem noção de costura, mas quer melhorar ainda mais.

“Quero aprender algo diferente, acho que o curso trouxe uma possibilidade de as pessoas aprenderem, trabalharem fora, ter um emprego porque emprego traz dignidade para a nossa vida”, diz.

O presidente da Associação Comercial e Industrial de Cascavel (Acic), Genésio Pegoraro, lembrou que a entidade participou das discussões desde o primeiro encontro para construir o polo.

“Apoiamos, incentivamos e acompanhamos tudo o que foi possível porque entendemos que é isso que nós precisamos, buscar nas pessoas a qualificação para que elas estejam aptas e preparadas para o mercado de trabalho”, frisou Pegoraro.

O polo têxtil levará o nome de Adriana Maria Felipe de Souza, servidora que trabalhava como supervisora da Agência do Trabalhador em Cascavel e que faleceu no mês passado. O prefeito Paranhos lembrou da dedicação da servidora que encaminhou muitas pessoas ao mercado de trabalho.

“Para nós foi exemplo. Imagina quantas pessoas que passaram pelas mãos da Adriana e conseguiram um emprego”.

A ideia é expandir o projeto e construir outras unidades, sempre ao lado dos terminais de transbordo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *