Unidos contra a dengue!

Mobilização contra o avanço da dengue em Cascavel reúne associações de moradores na guerra contra o mosquito Aedes aegypti
A União das Associações de Moradores, conselhos comunitários, territoriais e secretarias municipais se reuniram na noite de ontem (20) para discutir mais uma etapa da guerra contra a dengue em Cascavel. Representantes dos bairros, da Secretarias de Saúde, Secretaria de Meio Ambiente e Território Cidadão lotaram discutirão ações conjuntas de combate a dengue.

A ideia foi mobilizar os presidentes destas associações e conselhos em suas comunidades, orientando e informando a população sobre os perigos que o mosquito da dengue representa para Cascavel. “Hoje nós temos 140 casos confirmados da doença e 947 suspeitos. São números que nos preocupam. Nosso índice de infestação de 5,2% é alto, segundo as normas do Ministério da Saúde. Nós temos a circulação viral, por causa dos casos positivos registrados na cidade. Por isso, se não houver, além de todo o empenho do gestor público, a participação da população, poderemos ter, sim, uma epidemia em Cascavel”. A afirmação foi feita por Beatriz Tambosi, diretora do Departamento de Vigilância em Saúde.

Segundo Beatriz,   as lideranças comunitárias são essenciais nesta luta. “Nós precisamos muito das lideranças, das associações moradores, da sociedade civil como um todo, porque só o poder público não vai dar conta. Nós precisamos que todos  estejam engajados nesta luta de combate ao Aedes, para não termos epidemia e mortes, porque a dengue mata! E isso as pessoas precisam entender”.

Ney de Souza, presidente do Conselho Comunitário das Associações de Moradores, abraçou a causa. De acordo com ele, o trabalho de conscientização já vem sendo realizado no bairro onde mora.  “Cada morador tem o compromisso e a obrigação de cuidar do seu quintal. Não podemos esperar o poder público resolver o problema. E, nós lideranças comunitárias, estamos nesta luta. Queremos  ficar  por dentro de como está a situação e a partir disso agir nos nossos bairros. A gente pode fazer muita coisa. Se cada um cuidar do seu quintal, fazer a sua parte a  gente vai conseguir vencer este mosquito,” afirmou.

Mobilização

Para o gestor do Território Cidadão, José Carlos da Costa, o Cocão a intenção é mobilizar todos os presidentes de associações de moradores e conselheiros territoriais, em torno da questão e assim formar em cada bairro, em cada território, frentes de combate a criadouros da dengue, disseminadores de informação e orientação à população sobre a importância de manter quintais e lotes baldios livres de lixo , entulho ou qualquer material que possa acumular água e se transformar em criadouros do mosquito transmissor da doença.

“Associações de moradores tem papel fundamental neste luta, porque estão diariamente em suas comunidades. Nós, através do setor de endemias, passamos uma vez por semana nos bairros. Mas os moradores, se conscientizados,  podem desenvolver um grande trabalho dentro de suas comunidades.  A população está acomodada. E o problema está aí. Por isso precisamos que a população esteja ciente deste risco e que ela precisa fazer este trabalho no dia-a-dia. Por isso estamos reforçando o envolvimento das associações de moradores para que eles possam fazer este trabalho”, destacou.

Iolanda Barbosa, presidente de Associação de Moradores do jardim Pinheiros, disse que a maior dificuldade naquela comunidade é  conscientizar os moradores quanto a necessidade de manter seus quintais limpos e livres de  material  que possam acumular água e se tornar criadouros do mosquito aedes. “Se cada um fizer sua parte e não ficar  apenas esperando que o poder púbico faça seu trabalho, teremos uma cidade livre da dengue”, diz.

Os presidentes de associações de moradores se comprometeram em mobilizar suas comunidades na luta contra o mosquito da dengue. “Estes líderes comunitários poderão fazer parcerias com a igreja, com as escolas, desenvolver ações e alertar a população, no dia a dia. Este trabalho precisa ser rotineiro”, disse Cocão que completou falando que “Cascavel está unida no combate à dengue, precisamos de toda ajuda possível e acreditamos que com o apoio das associações de moradores poderemos reverter esta situação. É importante que cada um faça à sua parte, jogando lixo e entulho nos locais corretos. Nós só vamos vencer esta guerra contra o mosquito da dengue se todos colaborarem, se todos fizerem a sua parte”, disse o gestor do Território  Cidadão.

 Infestação

Em Cascavel, o 1º LirAa (Levantamento de índice Rápido Amostral por Aedes Aegypt) apontou 5,2% de infestação, um índice de alto risco para epidemia de dengue, segundo o Ministério da Saúde.

Dengue em Cascavel

De acordo com o novo Boletim Epidemiológico da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), Cascavel contabiliza de julho

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.