Urban95: Crianças da Educação Infantil ganham mais voz com escuta qualificada

Durante esta semana as escolas e Cmeis estão realizando diversas atividades para ouvir das crianças pequenas os seus anseios para a comunidade
Parte fundamental da construção do Plano Municipal pela Primeira Infância de Cascavel é entender quais são as principais necessidades desse público e é justamente dentro deste objetivo, que recentemente os coordenadores pedagógicos que atuam com a Educação Infantil foram preparados para a realização da escuta qualificada à Primeira Infância.

O trabalho de escuta vem acontecendo durante esta semana em todas as unidades da Rede Municipal de Ensino de Cascavel e é a maior escuta qualificada, voltada para a primeira infância, que está sendo realizada no Brasil, com um público de cerca de 10 mil crianças de até 6 anos.

O Dia D da Escuta qualificada aconteceu na segunda-feira (27), mas as atividades acontecem até amanhã (1º). Essas atividades, serão realizadas tendo como referência, neste momento, a realidade dos bairros em que as escolas e Cmeis estão inseridos e em seguida são sistematizados os registros das crianças, utilizando fotos, vídeos, desenhos e as mais diversas formas de identificação das problemáticas, sob a ótica das crianças.

Cascavel, ao realizar um processo de escuta às crianças de forma ampla e massiva, por meio da parceria entre a Secretaria de Educação e a Secretaria de Assistência Social, se consolida como referência em gestão pública com priorização à primeira infância. O município aderiu ao Programa Primeira Infância na Escola, do Ministério da Educação – MEC e vem realizando planejamento para atendimento ao que preconiza a Lei da Primeira Infância, recém aprovada no Congresso Nacional e  ainda é o único município do Paraná que entrou na iniciativa Urban95, da Fundação Holandesa Bernard Van Leer, sendo esta, uma iniciativa global que busca incluir a perspectiva de bebês, crianças pequenas e cuidadores, no planejamento urbano, nas estratégias de mobilidade e nos programas e serviços oferecidos nas cidades, tendo como referencial, a experiência de uma criança de três anos de idade que, em média, tem até 95cm de altura.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *